Preservação da NaturezaTodas as categorias

A importância de cuidarmos do Meio Ambiente

Onde há seres vivos e interação entre o meio que os cerca, existe meio ambiente. Este, cada vez mais corre perigo devido às ações do homem que acabam por influenciar diretamente nas mudanças climáticas, seja no aquecimento global ou no aumento no nível dos oceanos em diversas regiões do planeta, com o derretimento em ritmo acelerado das calotas polares.

Uma vez que ocorrem estas alterações, não é apenas o planeta que corre perigo, mas também os animais, as plantas e nós, seres humanos!

Segundo pesquisas realizadas pelo DataFolha, em 2019, apenas 85% da população possui consciência sobre o que vem ocorrendo no planeta (aumento de temperatura, escassez de recursos naturais, etc.), os outros 15% não têm percebido alterações climáticas . 

Além disso, a população que notou as mudanças relatam que isso deve-se principalmente às atividades humanas. Ainda de acordo com a pesquisa, a falta de percepção em relação às mudanças deve-se ao fato de que uma boa parte da população não tem conhecimento e/ou acesso a este assunto.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o Brasil é um dos países que lideram os debates sobre preservação e conservação. Mas parece que estes dois termos possuem o mesmo significado, não é? Porém isso não é verdade! A seguir, vamos entender a diferença entre estas palavras.

Preservação x conservação

Ambos referem-se à formas de ajudar o meio ambiente, entretanto, quando falamos de conservação, tratamos do uso consciente e racional dos recursos naturais pelo homem.

Já na preservação, a natureza permanece intocada, portanto, sem qualquer ação humana no sentido de explorar suas riquezas. Quando deixamos de lado a preservação e conservação,  ocorrem consequências que nem sempre podem ser revertidas.

Consequências do uso desenfreado de recursos naturais 

Com relação aos danos causados ao meio ambiente, falamos de consequências oriundas da industrialização, da urbanização desenfreada da população, o aumento do poder aquisitivo e o consumo exacerbado de bens descartáveis, todos estes fatores têm acarretado em impactos ambientais.

Neste âmbito existem algumas consequências que são consideradas as mais graves, a seguir será abordado um breve resumo sobre elas:

    • Atmosfera:  um dos vilões para a atmosfera é a emissão de gases e nós, seres humanos, somos os principais responsáveis por contribuir para a emissão destes. Existem vários gases como os óxidos de enxofre (SOx) e nitrogênio (NOx), o monóxido de carbono (CO) e o gás carbônico (CO2), que, conforme aumentam no ar trazem prejuízos para o clima, meio ambiente e saúde da população. O principal meio de emissão é a queima de combustíveis.
    • Resíduos Sólidos: O descarte incorreto dos resíduos sólidos gerados por cidadãos e empresas, têm contribuindo fortemente para a contaminação do solo. Em muitos estados brasileiros essa disposição inadequada ocorre em áreas que acabam sendo denominadas como lixões, onde o resíduo acaba ficando disposto em contato direto com o solo e a céu aberto, gerando um subproduto da decomposição, o chorume, que pode percolar os lençóis freáticos, bem como gases tóxicos. Ainda existe o descarte nas ruas e locais abandonados que acabam indo para os rios, mares e florestas que além da contaminação, afetam também a vidas dos animais.
    • Água: Você sabia que o planeta Terra possui 97% de água salgada, encontrada nos mares e oceanos, 2% formam as geleiras que são inacessíveis e somente 1% é de água doce? Entretanto, a água doce disponível tem diminuído diariamente devido à falta de preservação. Nós, seres humanos, não conseguimos viver sem água por muito tempo e por isso devemos cuidá-la. Os nossos rios são constantemente poluídos e não recebem tratamentos adequados. Outro fator é o uso sem preocupação, fazendo com que haja o desperdício de um bem tão precioso.
    • Energia: apesar de grande parte da energia do Brasil vir de fonte renovável, isso não é regra para o restante do planeta. A maioria dos países geram sua energia através de fontes como petróleo,  gás natural e carvão. E mesmo nossa energia vindo de fonte renovável, como hidrelétricas, elas têm grande impacto no meio ambiente, pois mudam toda a estrutura de rios e o habitats envolta. Por isso, a busca por diferentes soluções renováveis têm sido fomentadas nos últimos anos. Outro fator é o consumo consciente, pois quanto menos se consome menos tem que produzir.
    • Saneamento: a falta de saneamento básico também é um grande responsável pela poluição do nosso planeta. Porque a sua ausência ou má qualidade do tratamento faz com que contribua com as enchentes nos centros urbanos, a propagação de doenças e a contaminação dos recursos hídricos.

Desta forma, é importante que as pessoas recebam informações sobre o tema e orientações de como prevenir que o planeta como um todo seja extinguido. Por este motivo, preparamos algumas dicas para ajudá-los na tarefa de garantir a nossa sobrevivência.

Confira algumas dicas que separamos para você fazer sua parte:

A responsabilidade pela saúde do planeta é de todos nós, pois é uma responsabilidade compartilhada e cada um pode contribuir com ações bem simples. 

 

Veja a seguir algumas dicas de preservação:

  • Fomente o interesse das crianças no dia a dia sobre o tema meio ambiente, dando a elas a noção de que pequenos gestos fazem a diferença para o futuro e o cuidado da Terra;
  • Adquira o hábito de reciclar materiais, para você pode não ter mais valor, mas para muitas famílias isto representa a refeição do dia, pois tiram seu sustento a partir da comercialização de bens recicláveis. Iniciativas práticas no dia a dia da família contribuem para um planeta mais saudável;
  • Desenvolva a noção de respeito pelo espaço em que vivemos e que compartilhamos com mais de 7 bilhões de pessoas;
  • Proteja as árvores, não descarte bituca de cigarro pela janela do carro, por exemplo, isto pode causar um incêndio e destruir quilômetros de área verde;
  • Use papel e plástico com consciência, sempre que puder, opte por contas digitais e quando precisar imprimir use ambos os lados do papel. Abandone o hábito de usar sacolas nos supermercados (utilize as retornáveis);
  • Desapegue mais e descarte menos, aquele bem que não te agrega mais, doe para quem precisa;
  • Deixe o carro na garagem, caminhe, reveze carona, vá de bicicleta sempre que possível e utilize o transporte público;
  • Armazene água da chuva para lavar calçadas e tudo mais que for possível, ou utilize água da máquina de lavar roupa para limpar a calçada. E não se esqueça de inspecionar e consertar vazamentos.
  • Não desperdice energia elétrica: desligue aparelhos, verifique sobrecargas, apague as luzes, aproveite a claridade do sol;
  • Não jogue lixo em terrenos baldios ou em encostas;
  • Ajude a recuperar as áreas verdes, plante uma árvore;
  • Não descarte óleo de cozinha ou lubrificantes em sua rede de esgoto;
  • Não descarte remédio vencidos na lixeira, procure uma farmácia que possua um ponto de coleta para recebimento de medicamentos vencidos, assim você evita contaminar o solo e a água;
  • Não descarte pilhas, baterias, lâmpadas e eletroeletrônicos no lixo comum, geralmente mercados grandes tem ponto de coleta ou se informe com a sua prefeitura como realizar o descarte;
  • Não se esqueça de dar preferência a alimentos orgânicos livres de agrotóxicos;
  • Evite desperdício na sua cozinha, programe a suas alimentações para não sobrar alimentos e acabar estragando;
  • Pratique o consumo consciente, para e pense, você realmente precisa disto?

 

Repasse essas dicas! Espalhar conhecimento sobre como e porque cuidar da natureza, ajudará a contribuir para formar cidadãos mais comprometidos e engajados. 

Vamos fazer nossa parte e repassar informações? Com pequenas atitudes podemos fazer toda a diferença no nosso planeta e até mesmo inspirar outros a entrarem nesse caminho de respeito e responsabilidade.

Andrieli de Souza Alves

Andrieli de Souza Alves

Engenheira Agroindustrial - Ênfases em Indústrias Alimentícias e Agroquímica

Deixe uma resposta