Notícias

Queimadas: resultado de ações inconsequentes

Nos últimos meses as queimadas têm sido um dos assuntos mais comentados no Brasil e no exterior.

Isso deve-se ao fato de que não somente as florestas do Brasil encontram-se em chamas, mas também a Costa Oeste dos Estados Unidos, alguns pontos da Austrália e do Ártico Siberiano. Entretanto, os focos de incêndio registrados nesses locais são de naturezas diferentes.

Estes focos de incêndio não são algo que vêm acontecendo há pouco tempo, muito pelo contrário. Já são quase duas décadas de acompanhamento via satélite e observação de dados. Neste ano o Brasil bateu um recorde negativo: foi o ano com os maiores registros de queimadas de todos os tempos, de acordo com os dados compilados pelas organizações.

Segundo levantamentos realizados pela Nasa (National Aeronautics and Space Administration) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, o grande aumento de queimadas em alguns lugares possui uma relação direta com o aumento do número de desmatamento de áreas, que tem por intuito aumentar a fronteira agrícola e, consequentemente, os lucros.

Apesar de que mais produtividade acarreta no aumento do Produto Interno Bruto – PIB, isto não deve ocorrer por meio de atitudes ilegais e nem através do ocasionamento de uma série de impactos ambientais oriundos das queimadas.

Vejamos alguns exemplos:

  • Danos à flora: Uma floresta em chamas representa décadas ou até mesmo séculos para que seja possível recuperar parte da vegetação que um dia esteve ali, neste caso ocorre não somente a redução da cobertura vegetal, mas também da fertilidade do solo.
  • Danos à fauna: O reino animal sofre pela carbonização e as espécies que não morrem rapidamente, sofrem com queimaduras no corpo ou em seus membros, sendo às vezes um ferimento incapacitante ou letal. Os mamíferos mais rápidos através do olfato conseguem saber antecipadamente do incêndio e fugir, já as aves conseguem voar, mas todos de alguma forma perdem seu habitat.
  • Contribuição para as mudanças climáticas: O desmatamento por conta dos incêndios florestais ocasionam uma liberação desenfreada e extremamente significativa de dióxido de carbono e outros gases de efeito estufa. Isso tudo ocasiona a elevação das temperaturas do planeta, tornando as florestas mais secas, aumentando as chances de incêndio. Além disso, o dano das queimas faz com que o ciclo das chuvas seja prejudicado, causando seca em alguns lugares e alagamentos em outros.
  • Danos à saúde: As queimadas também possuem influência sobre a saúde da população. Através da fumaça gerada, que possui material particulado, é considerado um poluente ligado a doenças respiratórias e cardiovasculares. Os materiais particulados podem viajar por longas distâncias e se tornar mais tóxicos quando interagem com a luz solar e outros elementos.

Um exemplo de focos de queimadas desenfreadas é na região do estado do Amazonas, onde foi necessário implantar um Decreto, que visava proibir as queimadas a partir do mês de julho de 2020, entretanto, no mês subsequente à proibição, houve cerca de 29 mil  focos de calor ilegais na floresta.

Outro exemplo é na região do Pantanal, onde de acordo com os dados divulgados pelo Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais – LASA, as queimadas já bateram recorde, quando comparado ao ano passado. Neste local houve um aumento de aproximadamente 210%. É o mesmo que queimar 63% do território do estado do Espírito Santo.

Todo este cenário é consequência de uma falta de retorno por parte do poder público, com ações de intervenção para desacelerar as queimadas. Outra difícil barreira são as características próprias de cada região, como o clima, por exemplo.

Por estes fatores, as queimadas só devem diminuir imediatamente quando houver um volume de chuvas considerável e constantes sobre estas regiões. Pois, apesar dos esforços de bombeiros e civis a área consumida já é desproporcional frente ao número de colaboradores.

Para que as queimadas terminem é necessária a conscientização da população, uma forte fiscalização e uma legislação mais rígida!

Desta forma, o tema queimada é algo que deve ser monitorado por todos nós, pois somente assim será possível aumentar as chances de preservação ambiental. Independente de qual região seja, se é no país ou fora! É dever de todos nós preservá-la!

Andrieli de Souza Alves

Andrieli de Souza Alves

Engenheira Agroindustrial - Ênfases em Indústrias Alimentícias e Agroquímica

Deixe uma resposta