Problemas financeiros dos municípios geram aumento de lixões irregulares

Problemas financeiros dos municípios geram aumento de lixões irregulares em todo o Brasil

Quase 30% do total de municípios Brasileiros destinaram seus resíduos sólidos a lixões irregulares em 2016. Houve um aumento, que aconteceu pela primeira vez em sete anos desde que foi criada a nova Politica Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Lei 12.305/2010.

Os dados citados acima estão presentes no estudo Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil de 2016 e foi divulgado pela ABRELPE (Associação Brasileiras das Empresas de Limpeza Pública).

Descarte de lixo inadequado

Cerca de 59% das cidades brasileiras utilizam destinos inadequados para o lixo, com isso grandes impactos para o meio ambiente e saúde pública se desenvolvem nos municípios brasileiros. Aproximadamente 81 mil toneladas de lixo foram enviadas a aterros irregulares por dia em 2016.

Lixão a céu aberto
Lixões irregulares aumentaram no Brasil

 

Efeitos da crise econômica no lixo

O estudo citado anteriormente também mostra que os brasileiros reduziram a geração de lixo, provavelmente devido à crise econômica que o Brasil vem passando. Por um lado essa redução é algo positivo para os aspectos ambientais e sanitários, por outro a gestão dos resíduos sólidos apresentou uma regressão em suas operações. Com todo esse cenário, estima-se que a saúde de 100 milhões de brasileiros está sendo afetada.

Lixão a céu aberto
Lixão é fonte de renda para muitas pessoas

“Percebemos que de um lado não há um grau de conscientização elevado por parte dos gestores e do o outro não há investimento suficiente. A PNRS ainda carece de aplicação prática em vários pontos”, afirma o presidente da ABRELPE.

Fonte: http://www.ecodesenvolvimento.org

 

Se você, gestor público, está passando por esta situação, fique calmo, que nas próximas semanas apresentaremos aqui no blog fimdolixo.com.br uma solução que poderá ser a saída para o problema dos Resíduos Sólidos Urbanos no seu município. Aguarde!

Abraço e até a próxima semana!

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *