Resíduos Sólidos

Lixo: problema ou solução?

Todos os dias, produzimos toneladas de restos daquilo que consumimos e descartamos. Todo esse material que entrou em desuso, vira resíduo se tornando um passivo oneroso e desagradável. Então, o lixo pode ser um problema ou uma solução?

A gestão dos resíduos sólidos urbanos se executada de maneira ineficiente, gera problemas de saúde pública devido a proliferação de animais que se tornam vetores de doenças. Forma-se, então, uma equação difícil de resolver: como coletar, armazenar e encaminhar para um ciclo de reciclagem os rejeitos diários, já que o volume de lixo que produzimos vem aumentando cada vez mais? Esse é um ônus da vida moderna, principalmente nos grandes centros urbanos, como em São Paulo, onde impressionantes 14 milhões de quilos de lixo são coletados por dia.

Para lidar com a questão, novas práticas são necessárias. Uma cidade sustentável, onde haja a diminuição da poluição, a conservação das águas, mais áreas verdes urbanas, sistemas alternativos de energia e maior índice de reciclagem é o desejo de todos. Assim, reduz-se consideravelmente o impacto ambiental do homem no meio ambiente, já que essa é a herança para nossas gerações futuras.

Borás: um exemplo a ser seguido

Borás
Borás encontrou no lixo a solução

Um bom exemplo de tratamento de lixo é a cidade de Boras na Suécia onde 99% de todo o rejeito é reaproveitado. A cidade, uma das pioneiras em um país que é referência mundial em aproveitamento do lixo, possui mais de 100 mil habitantes.

Os moradores recebem gratuitamente da companhia de recolhimento do lixo dois tipos de sacos para separação dos resíduos, assim o lixo sai das casas separados entre recicláveis e não recicláveis. As 200 ton de lixo coletadas todos os dias na cidade de Borás são encaminhadas até um centro de triagem, onde os resíduos orgânicos viram biogás e os inflamáveis alimentam caldeiras de termoelétricas que produzem eletricidade.

O lixo trás muitas vantagens para a população

O lixo gera ganho em economia para os moradores, que devido à queima da matéria orgânica na produção de eletricidade, pagam até 50% menos na conta de luz e economizam até 20% em transporte, pois os ônibus e os táxis são 100% movidos a gás.

Na cidade, e em quase todo o país, apenas 1% do lixo não se insere nessa cadeia de reaproveitamento, indo parar nos aterros.

Processamento do lixo
Lixo foi a solução neste caso

Inspirador, não é? Para atingir tais resultados, um gestor público deve agir de maneira local mantendo o foco no âmbito global, e se inspirar em histórias de sucesso, como a de Boras.

A complexidade da questão, que é um dos maiores problemas ambientais na atualidade, exige a participação ativa da sociedade. É necessário despertar na população uma tendência a consumir de maneira consciente e promover o conhecimento sobre a separação dos materiais orgânicos dos recicláveis para a implantação de uma coleta seletiva.

O lixo não se torna um problema quando é bem administrado, pelo contrário, torna-se uma excelente oportunidade de crescimento e destaque, mas para isso, inovar com responsabilidade é necessário.

Cidade limpa
Cidade limpa                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                             

Deixe uma resposta